Arquivo da tag: sergipe

Croa do Goré: delicioso banho de rio em Aracaju

IMG_4960

Data da viagem: 09/2015

A cerca de 20 kms da Orla de Atalaia, na praia de Mosqueiro, às margens do Rio Vaza-Barris, está a Orla Pôr do Sol, ponto de saída para conhecer um dos principais pontos turísticos de Aracaju: a Croa do Goré.

Croa do Goré é um banco de areia do Rio Vaza-Barris que aparece durante a maré baixa, ficando visível por cerca de 5 a 6 horas, sendo este o melhor período do dia para visitá-lo, permitindo relaxar na areia ou aproveitar os guarda-sóis de palha disponíveis no local.  Todo o entorno da Croa é raso, permitindo caminhar e tomar banho em uma grande área. Mesmo quando a maré começa a subir, pode-se aproveitar o local por um bom tempo.

Procurei contato pela Internet e achei uma guia, a Gil, tel (79) 9981-6946, com quem troquei mensagens pelo Whatsapp para obter informações sobre os passeios. Ela me deu 2 opções para ir à Croa do Goré: lancha (R$ 25 por pessoa – mínimo de 4 passageiros) ou catamarã, com extensão do passeio até a Ilha dos Namorados (R$ 50 por pessoa). A lancha pode sair a qualquer horário, te deixa na Croa e combina um horário para ir buscar. O catamarã tem horário de saída (fomos às 09:00 horas) e o passeio dura cerca de 5 horas. Há passeios também na parte da tarde, voltando depois do pôr do sol.

Escolhemos o passeio de catamarã e fizemos a reserva para o dia seguinte.

Maiores informações sobre o passeio de catamarã abaixo (fotos tiradas no barco e na orla):

Estávamos de carro e levamos cerca de 25 minutos para ir da Orla de Atalaia até a Orla Pôr do Sol. Estacionamento fácil e gratuito. Nos encontramos com a Gil, que nos entregou os bilhetes para o barco. Como ainda tínhamos cerca de 30 minutos antes do barco sair, demos uma volta pela Orla para algumas fotos.

20150907_084812
Orla Pôr do Sol com Ponte Joel Silveira ao fundo
20150907_084957
Orla Pôr do Sol – prática de stand up paddle

A Orla do Pôr do Sol tem este nome porque, dizem, dali é possível a observação de um pôr do sol muito bonito, mas não tivemos a oportunidade de conferir. É procurado também para esportes náuticos.

Barco atracado, fomos autorizados a entrar e vimos que acertamos no passeio: barco novo, confortável, monitores divertindo os turistas, wifi (lento), um pequeno bar com petiscos e bebidas geladas, além de uma tripulação simpática e atenciosa.

20150907_085500
Catamarã Croa do Goré

A navegação até a Croa durou cerca de 30 minutos, com belas paisagens.

IMG_4953
Vista da parte de trás do barco
IMG_4957
Vista da parte da frente do barco
DCIM103GOPROG2694236.
Chegando na Croa do Goré

Quando chegamos à Crôa do Goré, a maré estava subindo, mas foi possível aproveitar bem nossa parada lá, de cerca de 1 hora e 20 minutos, caminhando e tomando um banho maravilhoso. No local funciona um bar flutuante, com bom atendimento e preços justos para bebidas e petiscos. O bar tem banheiro e fornece mesas e cadeiras.

DCIM103GOPROGOPR4232.
Croa do Goré – banco de areia ainda visível
DCIM103GOPROG2804352.
Vista da Croa com nosso barco do lado esquerdo
DCIM103GOPROGOPR4368.
Maré subindo
DCIM103GOPROGOPR4369.
Bar flutuante ao fundo
DCIM103GOPROGOPR4374.
Nosso barco ao fundo

20150907_103541

20150907_103519_001

Deixamos a Crôa do Goré em direção à Ilha dos Namorados (30 minutos navegando).

IMG_4968
Saindo da Croa do Goré
IMG_4974
Croa do Goré ao fundo
IMG_4979
Manguezais

No caminho passamos sob a ponte Joel Silveira, que liga Aracaju ao município de Itaporanga D’ajuda.

IMG_4985
Ponte Joel Silveira

A Ilha dos Namorados também é banco de areia, bem maior que a Croa do Goré, no encontro do Rio Vaza-Barris com o mar.  Aqui não há problemas com a maré – a Ilha dos Namorados está sempre visível.

IMG_4996
Chegando na Ilha dos Namorados

Na ilha há uma estrutura bem legal, conforme mostram as fotos abaixo e é toda montada pelos proprietários do catamarã, especialmente para os passageiros da embarcação. Não se preocupe em sair rápido do navio, pois há lugar com folga para todos.

IMG_4997
Chegada na Ilha dos Namorados
IMG_5007
Bóias para as crianças

Dica: normalmente aqui você estará com um pouco de fome e, se quiser comer algo antes do retorno, é a hora de pedir, pois o bar é pequeno e os petiscos demoram muito para sair.

Passamos aqui 2 horas entre caminhadas e banhos do mar, além de relaxar tomando uma cervejinha gelada.

DCIM103GOPROGOPR4450.
Barco ao fundo
DCIM103GOPROGOPR4466.
Pequenas “lagoas” na Ilha dos Namorados

IMG_4998

20150907_122614

20150907_122615

IMG_5001

No caminho de volta (cerca de 30 minutos de navegação) aproveitamos novamente o bonito visual.

IMG_5014
Deixando a Ilha dos Namorados
IMG_5015
Ponte Joel Silveira
IMG_5018
Pessoal curtindo às margens do rio
IMG_5035
Chegando na Orla Pôr do Sol

Após desembarcar, sugiro 2 programas: aproveitar um dos restaurantes ou bares ao redor da Orla e aguardar o pôr do sol ou aproveitar o resto da tarde em uma das barracas no caminho de volta ao hotel (veja dicas de barracas aqui).

No final da viagem, conversando com a proprietária do barco, ficamos sabendo que trata-se da mesma empresa que faz os passeios para o Cânion do Xingó (post em breve).

Veja também:

O que tem para fazer em Sergipe?

Centro Histórico de Aracaju

Fotos: Marcos Pereira

Praias de Aracaju

São cerca de 22 km de litoral entre a foz do Rio Sergipe e a foz do Rio Vaza-Barris. Uma única praia com boa faixa de areia que recebe vários nomes no caminho (de norte a sul), entre elas: Coroa do Meio, Artistas, Havaizinho, Atalaia, Aruana, Robalo, Refúgio, Náufragos e Mosqueiro.

Podemos dizer que as praias Coroa do Meio, Artistas, Havaizinho e Atalaia ficam praticamente na Orla de Atalaia, local mais conhecido de Aracaju, onde está o agito e vários pontos turísticos.

Veja post sobre a Orla de Atalaia

As demais praias são acessíveis pela Rod. Pres. José Sarney, que margeia o litoral de Aracaju a partir de Atalaia. Todas as praias são boas para banho. Os turistas e os aracajuanos que querem um pouco mais de conforto vão para as maiores barracas, mas há barracas para todos os gostos. Pode-se estacionar ao longo da rodovia ou então deixar o carro mais próximo da areia para aproveitar a praia da sua maneira, já que muitos pontos das praias não tem qualquer infraestrutura e o jeito é levar cadeira, guarda-sol, comida e bebida.

Veja post sobre outras praias de Sergipe (em breve)

Fomos a 2 das principais barracas (Paraíso do Baixinho e Parati), recomendadas pelo pessoal do hotel, chegando por volta das 09:00 e saindo por volta das 14:30 (como em todo o Nordeste, o pessoal começa a voltar cedo para casa) em 2 dias que escolhemos para relaxar um pouco na praia. Fomos de carro alugado, mas muitos turistas vão de táxi. Gostamos da infraestrutura e atendimento de ambas, preço normal, cerveja gelada e comida razoável. Locais tranquilos para curtir um bom dia de sol.

As barracas não exigem consumo mínimo e é comum o pessoal sentar, pedir bebida e ir embora, talvez até para almoçar em casa.

Fotos da Barraca Paraíso do Baixinho

paraiso do baixinho1

paraiso do baixinho3

paraiso do baixinho2

Fotos da Barraca Parati

parati1

parati2

parati3

Dicas:

  • as melhores barracas de praia ficam longe do agito da Orla de Atalaia
  • se quiser comer o prato quente, peça para servirem na parte coberta das barracas

O que tem para fazer em Sergipe?

Centro Histórico de Aracaju

Croa do Goré: delicioso banho de rio em Aracaju

Fotos: Marcos Pereira

Orla de Atalaia

Arcos da Orla de Atalaia
Arcos da Orla de Atalaia – cartão postal de Aracaju, lindo à noite
Data da viagem: 09/2015

Ficamos hospedados no Celi Hotel :) , bem localizado na Orla de Atalaia, reservado através do Booking.

A praia de Atalaia é a mais conhecida de Aracaju (não confundir com a praia de Atalaia Nova, que fica no vizinho município de Barra dos Coqueiros, no outro lado do rio Sergipe), com bons hotéis e restaurantes, o famoso agito da Passarela do Caranguejo e várias atrações turísticas. Próxima ao aeroporto (4 km) e praia mais perto do centro (9 km), é porta de saída para as praias do sul de Sergipe e com fácil acesso às principais rodovias.

Lagos artificiais
Lagos artificiais

Cartão postal de Aracaju, sua orla, com 6 km de extensão, é considerada uma das mais bonitas do país, com uma estrutura diferente das outras capitais nordestinas, tendo uma boa distância entre a avenida e o mar, com calçadão, lagos artificiais, kartódromo, várias quadras esportivas, ciclovia, pista de skate, restaurantes, parques infantis, Oceanário, além de uma extensa faixa de areia. Tudo muuuiiiito bem cuidado, contrastando com o Centro Histórico.

Veja post sobre o Centro Histórico de Aracaju

20150906_171336A
Uma das passarelas entre a avenida e a praia

Pude perceber que a praia de Atalaia é bastante frequentada pelos aracajuanos no final de semana, provavelmente pelo fato de fácil acesso de ônibus. As melhores barracas de praia estão localizadas em outras praias, onde acabamos passando nossos dias de relax.

Veja post sobre as praias de Aracaju

Mundo Maravilhoso da Criança
Parque infantil Mundo Maravilhoso da Criança – brinquedos gratuitos 24 horas e brinquedos pagos

Achamos a região muito segura e caminhamos tranquilamente, inclusive à noite, sem maiores problemas.

Passarela do Caranguejo

Concentração de bares e restaurantes na ponta sul da Orla de Atalaia (não tem como errar, pois há um caranguejo enorme guardando o local), é o agito da região e ponto de encontro dos turistas e locais, principalmente próximo ao Cariri, restaurante mais famoso. Música ao vivo e gastronomia local para todos os bolsos.  Há opções também para quem quer um pouco mais de sossego.

Roteiro para Orla de Atalaia

Estando hospedado na região, caminhe pela orla um pouco todos os dias. Vá à Passarela do Caranguejo à noite para jantar e curtir o agito. Caso fique poucos dias, uma manhã é suficiente para andar por tudo.

Sequência de atrações

De norte a sul, para facilitar localização, sequência das principais atrações e alguns pontos de referência na Orla de Atalaia:

  • Farol da Coroa do Meio
  • Restaurante República dos Camarões
  • Passarela do Artesão (foto com o nome da cidade)
  • Lagos e Oceanário
  • Kartódromo
  • Mundo Maravilhoso da Criança
  • Hotel Celi
  • Monumento dos Formadores de Nacionalidade
  • Arcos da Orla de Atalaia
  • Monumento aos Intelectuais e Escritores Sergipanos
  • Passarela do Caranguejo
Monumento
Monumento dos Formadores de Nacionalidade – homenagem a 10 grandes personagens brasileiros, como Tiradentes, Princesa Isabel, JK e Getúlio Vargas. Estátuas em Bronze
Monumento
Monumento aos intelectuais e escritores sergipanos – homenagem a 10 personagens sergipanos. Estátuas em Bronze

Dicas para Orla de Atalaia:

  • em Aracaju hospede-se em um hotel da região
  • não deixe de ir na Passarela do Caranguejo à noite curtir o agito
  • tire uma foto nos Arcos da Orla de Atalaia, principal cartão postal da região
  • indicamos os restaurantes República dos Camarões e Pitú com Pirão da Eliane (fomos 2 vezes), além do açaí, escondidinho e pestiscos do Açaí Aju (2 endereços na Orla)
Passarela do Artesão
Passarela do Artesão

Croa do Goré: delicioso banho de rio em Aracaju

Fotos: Marcos Pereira

O que tem para fazer em Sergipe?

20150913_093022A

Data da viagem: 09/2015

Com uma semana de folga :) no início de setembro, aproveitando os feriados de Curitiba, chega a hora de escolher um destino. Viagem do casal. Queríamos certeza de calor (curitibano foge do frio) e o Nordeste veio à mente, apesar do risco de alguma chuva. Porque não escolher um estado que não conhecíamos? Boa idéia 👍. Ficamos então entre Sergipe, Maranhão e Piauí. Pesquisando preços, Sergipe era a melhor opção. Mas o que fazer em Sergipe? Certamente tem praias bonitas, mas só isso? Aracaju tinha algo diferente para se ver? Tínhamos ouvido falar, quando fomos a Maceió fazer o passeio na Foz do Rio São Francisco, que os Cânions entre Sergipe e Alagoas eram muito bonitos. Ficava longe de Aracaju? É, Turista Amador, “bora” pesquisar na Internet.

Sergipe é um estado pequeno, mas com um grande diversidade. Escolhemos o que queríamos fazer, com uma certa ordem de prioridade, mesclando história, praia, paisagem e dias de relax. Só reservamos hotel e carro. O espírito da viagem foi de aproveitar o máximo possível, mas sem exageros. Não conseguimos ir a todos os lugares listados (coisa de turista amador) deixando um gostinho de quero mais. Queríamos mais? Então foi bom? Foi ótimo :) e temos intenção de voltar para conhecer o resto do estado e também reviver alguns locais com mais detalhes.

Nos próximos posts tentarei descrever a experiência desta viagem a um estado ainda não tão explorado pelos turistas do sul, mas amado pelos que lá passaram. Os baianos também adoram ir. Descobriram primeiro que nós.

Orla de Atalaia

Praias de Aracaju

Centro Histórico de Aracaju

Croa do Goré: delicioso banho de rio em Aracaju

Dicas:

  • vá a Sergipe sem medo de errar
  • em uma só viagem pode-se conhecer 3 estados: Sergipe, Bahia e Alagoas
  • setembro é um bom mês para visitar a região. Tente fugir da temporada

Foto: Marcos Pereira